Chanukah – A Festa das Luzes – Aula 4

Devido a Hollywood, o Festival das Luzes se tornou a festa judaica mais conhecida pelo público não-judeu. Vemos em filmes, seriados e desenhos animados, personagens judeus acendendo as luzes de Chanukah. Geralmente, em cenas associadas às festas de fim de ano (principalmente o Natal). Isso levou muitos não-judeus a ter a falsa impressão de que o Chanukah é uma espécie de “Natal Judaico”. Nas próximas linhas, iremos tentar mostrar uma visão geral dessa festa tão iluminada.

Quando?

Chanukah (Hanukkah), o Festival das Luzes, começa no dia 25 do mês judeu de Kislev e dura oito dias. No calendário secular, Chanukah geralmente cai em dezembro.

Como se escreve?

Uma dúvida recorrente a não-judeus (E alguns judeus) é como se pronuncia e/ou se escreve o nome da festa, é um erro comum mas perfeitamente aceitável, haja vista que o vemos grafado de várias formas, ex.: Hannukah, Chanukah, Hanukka, Chanukah, etc.

A palavra חֲנֻכָּה é pronunciada Rânuca. E daí que surgiu a confusão. Ao transliterar o hebraico para o português, a letra Het  tem o som de R como em rato, revista e rio. Sendo que, em alemão o som do R é escrito com ch como em Bach (riacho), noch (ainda), buch (livro). E já que a forma de transliteração mais difundida é a dos judeus ashkenazi (De origem alemã), vemos a palavra hanukah escrita com CH chanukah com muita frequência. O mesmo acontece com países de língua espanhola, onde o J tem som de R como em: Javier, Juan, Juego. Por isso, em países de língua espanhola, vemos grafado a palavra Janukah.

Já a questão do N e o K serem duplos, como em Channukah ou Chanukkah, isso é totalmente desnecessário. Haja vista que tanto a letra Nun e a letra Kof não é transliterada duplicada.

E para finalizar, vamos falar do fim. A última letra h pode ser suprimida e usada a letra A com acento agudo. Isto porque a última letra de חֲנֻכָּה é o Kóf (Lembre-se, não existem vogais em hebraico). Esse também é outro caso da popularidade da transliteração ashkenazi onde já que não tem acentos com em português, usam o H como maneira grafar som abertos.

Um pouco de História

A palavra hebraica Chanuká significa “dedicação”. No século II a.e.c, durante o tempo do Segundo Templo Sagrado, o regime sírio-grego de Antíoco buscou afastar os judeus do judaísmo, com a esperança de assimilá-los na cultura grega. Antíoco proibiu a observância judaica – incluindo a circuncisão, o Shabat e o estudo da Torá – sob pena de morte. Além disso, muitos judeus – chamados helenistas – começaram a assimilar-se à cultura grega, assumindo nomes gregos e casando-se com não-judeus. Isso começou a decompor o fundamento da vida e da prática judaicas.

Quando os gregos desafiaram os judeus a sacrificar um porco a um deus grego, alguns judeus corajosos levaram-se para as colinas da Judéia em franca revolta contra esta ameaça à vida judaica. Liderado por Matitiyahu, e mais tarde seu filho Judá, o Macabeu, esse pequeno grupo de judeus religiosos liderou uma guerra de guerrilha contra o exército sírio-grego.

Antíoco enviou milhares de soldados bem armados para esmagar a rebelião, mas depois de três anos os Macabeus bateram incríveis probabilidades e milagrosamente conseguiram expulsar os estrangeiros de suas terras. A vitória foi na escala de Israel derrotar as superpotências combinados de hoje.

Os guerreiros judeus entraram em Jerusalém e acharam o Templo em caos e profanado com ídolos. Os Macabeus purificaram o Templo e voltaram a dedicá-lo no dia 25 de Kislev. Quando chegou a hora de voltar a iluminar a Menorá, eles revistaram todo o Templo, mas encontraram apenas um frasco de óleo puro com o selo do Sumo Sacerdote. O grupo de libertadores acendeu a Menorah assim mesmoa e foi recompensado com um milagre: Aquela pequena jarra de óleo queimou por oito dias, até que uma nova oferta de óleo pudesse ser trazida.

A partir de então, os judeus têm observado um feriado de oito dias, em honra desta vitória histórica e o milagre do óleo. Para divulgar o milagre de Chanucá, os judeus acrescentam os especiais elogios de Hallel ao serviço de Shacharit e iluminam uma menorah durante as oito noites de Chanucá.

Instruções de Iluminação

A tradição Sefardi tem apenas uma menorah por família. Na tradição Ashkenazi, cada pessoa ilumina sua própria menorah. (Importante, essa é uma visão geral mas pode haver diferença de grupo para grupo).

 O que a velas iluminam?

Para divulgar qual noite de Chanucá, todas as oito velas na menorah devem estar na mesma altura – e preferencialmente em uma linha reta. Caso contrário, as velas podem não ser facilmente distinguíveis e podem aparecer como uma grande tocha.

Além das oito luzes principais, a menorah (Chamada de Chanukiah) tem uma vela auxiliar extra chamada “Shamash”. Como estamos proibidos de usar as luzes de Chanucá para qualquer propósito que não seja “ver”, qualquer benefício é como se fosse proveniente do Shamash.

Desde que o Shamash não conta como uma das oito luzes regulares, seu menorah deve ter o Shamash separado de alguma maneira – ou colocado mais altamente do que as outras velas, ou ao lado.

Que tipos de vela usar?

A coisa mais importante é que as velas devem queimar por pelo menos 30 minutos após o anoitecer. (Por isso, fiquem atentos qual tipo de velas comprar) Muitas livrarias judaicas vendem as velas coloridas próprias para este fim.

Na verdade, é ainda melhor usar o azeite, já que o milagre dos macabeus ocorreu com azeite. Os copos de vidro contendo óleo podem ser colocados nos castiçais de qualquer menorah padrão. Muitas livrarias judaicas ainda vendem kits de óleo pré-medido em copos descartáveis.

Onde iluminar?

Para melhor divulgar o milagre, o menorah é idealmente iluminado fora da entrada de sua casa, no lado esquerdo ao entrar. (A mezuzá está do lado direito, desta forma você está “cercado por mitsvot.”) Em Israel, muitas pessoas colocam as velas em caixas de vidro especiais construído para um menorah.

Se isso não for prático, a menorah deve ser acesa em uma janela voltada para a via pública.

Alguém que vive em um andar superior deve acender em uma janela. Se por algum motivo a menorah não puder ser iluminada por uma janela, ela pode ser acesa dentro da casa sobre uma mesa; Isso pelo menos cumpre a mitsvá de “publicar o milagre” para os membros da família.

Desde que a mitsvá ocorre no momento atual da iluminação, mover a menorah para um lugar apropriado após a iluminação não cumpre a mitsvá.

Quando acender?

O tempo preferível para iluminar a menorah é à noite. É melhor acender na presença de muitas pessoas, o que maximiza a mitsvá de “divulgar o milagre” e aumenta a atmosfera familiar. A menorah ainda pode ser iluminada (com as bênçãos) no final da noite, enquanto as pessoas ainda estão acordadas.

A menorah deve permanecer acesa por pelo menos 30 minutos após o anoitecer, período durante o qual não deve ser feito uso de sua luz.

Na tarde de sexta-feira, o menorah deve ser iluminado 18 minutos antes do pôr-do-sol. E uma vez que a menorah precisa queimar por 30 minutos na noite, as velas usadas na sexta-feira precisam ser maiores do que as regulares para poder estarem acesas a noite e permanecer queimando por 30 minutos.

Que tipo de menorá?

Qualquer forma de menorá é apropriada. Podem ser de qualquer material, qualquer design, qualquer estilo e tamanho.

Basta que estejam alinhadas horizontalmente, estejam em linha reta e suportem velas que queimem por 30 minutos. Veja a imagem a seguir de exemplos corretos e errados.

As Bênçãos

Assista a animação de como acender a Menorah

As duas primeiras bênçãos são ditas com o Shamash já aceso, mas imediatamente antes de acender as velas de Chanukah.

1ª Bênção

Baruch ata Ado-noi Elo-heinu melech ha-olam, Asher kid-shanu bi-mitzvo-sav, Vi-tzee-vanu li-had-leek ner shel Chanucá.

Bendito és Tu, Senhor nosso Deus, Rei do universo, que nos santificou com os seus mandamentos, e nos ordenou que acendamos a luz de Chanucá.

2ª Bênção

Baruch ata Ado-noi Elo-heinu melech ha-olam, Shi-asa nee-parecem la-avo-seinu, Baya-meem ha-haim baz-homem ha-zeh.

Bendito és Tu, o Senhor nosso Deus, Rei do universo, que fez milagres para nossos antepassados, naqueles dias nesta época.

3ª Bênção

IMPORTANTE: Esta bênção é dita apenas na primeira noite.

Baruch ata Ado-noi Elo-heinu melech ha-olam, Sheh-ele-che-yanu vi-kee-yimanu Vi-hee-gee-yanu laz-homem ha-zeh.

Bendito és Tu, o Senhor nosso Deus, Rei do universo, que nos manteve vivos, nos sustentou e nos trouxe para este tempo.

O seguinte parágrafo é dito cada noite, depois que a primeira luz foi acesa:

Ha-nerot ha-lalu anach-nu louco-likin Al-ha-nissim vi-al hanif-laot Al-ha-tshu-ot vi-al ha-milchamot Ela-asita la’avo-teinu Ba-yamim ha-heim, ba -zman ha-zeh Al ye-dey kohan-echa haki-doshim.

Vi-chol shmonat ye-mey Chanuká Ha-nerot ha-lalu kodesh heim, Ve-ein lanu reshut li-heesh-tamesh ba-hem Ela-olha-otam bilvad Al- Secha vi-al niflo-techa vi-al yeshua-techa.

Outros costumes

Depois de iluminar a chanukiah,  as famílias desfrutam sentadas no brilho, cantando e recordando os milagres de ontem e hoje.

  • Comer alimentos “oleosos” como sufganiyot (sonhos). É comum entre os ashkenazi, comer latkes (bolinhos de batata frito). No Brasil, famílias de bnei anussim (marranos) comiam bolinhos de chuva. Esse costume é em comemoração ao milagre do óleo;
  • Dar Chanukah gelt (moedas) para as crianças;
  • Girar o dreidel, um pião de quatro lados com uma letra hebraica em cada lado (sivivon em hebraico);
  • Pelo fato da festa coincidir com o período de Natal, surgiu o costume de dar presentes de chanukah para as crianças.

Qual é a origem do dreidel?

Em tempos de perseguição quando o estudo da Torá era proibido, as crianças judaicas aprenderiam de qualquer maneira. Quando os soldados investigavam, as crianças tiravam um dreidel e fingiam estar brincando.

As letras no dreidel são nun, gimmel, hey, shin – as primeiras letras de Nes Gadol Haya Sham – “um grande milagre aconteceu lá.” (Em Israel, a última letra é um Pey – “Aqui.”) Uma maneira de jogar dreidel é ver quem pode manter o seu girando por mais tempo. Ou, alternativamente, para ver quantos dreidels você pode obter girando simultaneamente.

Outra versão do dreidel é onde os jogadores usam moedas, nozes, passas ou moedas de chocolate como fichas. Cada jogador coloca uma parte igual no “pote”. O primeiro jogador gira o dreidel. Quando o dreidel para, a face voltada para cima determina:

  • Nun – nada acontece; O próximo jogador gira o dreidel
  • Gimmel – o jogador pega o pote
  • Hey – pegue a metade do pote
  • Shin – adicione um ao pote

(Alternativamente, você pode jogar onde todos giram seu próprio dreidel simultaneamente.Quem é que recebe Nun leva 2 do pote, Gimmel leva 1 do pote, Hey coloca 1 no pote, Shin dá 1 para a pessoa em seu direito. )

Em Chanucá, acrescentamos “Al Ha’nisim” – um parágrafo extra que descreve o milagre de Chanucá – para a oração de Amidá, e também para a Graça Depois das Refeições.

Chanukah Sameach!

Author: admin

Comments

comments

Deixe uma resposta

Assine nossa lista de e-mails agora!

Assine nossa lista de e-mails agora!

Fique sempre informado de todas os nossos estudos, artigos, notícias e muito mais. É só preencher o formulário abaixo com seu nome e e-mail. Nós da SHAAREI SHALOM ficamos muito felizes em ter você em nossa lista de amigos.