Parashá Vayishlach – Resumo da Parashát

Parashá Vayishlach (Bereshit/Gênesis 32:4-36:43) – “E enviou Jacob mensageiros a sua frente, a Essav, seu irmão, à terra de Seir, ao campo de Edom” (Genêsis. 32:4).

Jacob e Essav eram irmãos gêmeos porém diferentes na aparência e também no comportamento. Depois de viverem muitos anos separados e brigados, a Torá descreve o reencontro. O clima é de suspense. Os mensageiros voltam e anunciam que Essav não vem só, mas acompanhado de 400 homens. Jacob fica preocupado e resolve dividir o povo que estava com ele em dois acampamentos. Assim, se um acampamento fosse atacado, o outro teria chance de sobreviver. Jacob rezou e mandou presentes para o irmão.

Enquanto o encontro não acontece, um anjo apareceu e lutou contra Jacob durante toda a noite ferindo-o em sua coxa (dando origem a proibição de se consumir a carne que envolve o nervo ciático do boi). Mesmo assim, o nosso Patriarca venceu a luta e exigiu uma benção como recompensa. Jacob é abençoado e seu nome é trocado, passando a se chamar “Israel”. E finalmente ocorre o grande encontro: “E correu Essav a seu encontro e abraçou-o, e lançou-se a seu pescoço e beijou-o, e choraram” (Gen. 33:4). Diná, filha de Jacob e Lea, passou por uma humilhação quando Shechem deitou-se com ela. Em seguida, o pai de Shechem, Chamor, pediu a mão de Diná para seu filho, porém o pedido foi negado pelo fato de não serem eles parte do Povo de Israel. Simão e Levi, irmãos de Diná, vingaram a vergonha de sua família matando a Shechem e os demais homens de sua cidade e resgataram novamente a irmã para sua casa. Jacob repreendeu os filhos pela matança.

Jacob é abençoado por D-us. A promessa de herança da terra de Canaã, feita para Abraão e Issac, é renovada com o terceiro e último Patriarca Jacob. Rachel, esposa de Jacob, dá a luz a Beniamin e falece. O Patriarca Issac morreu com 180 anos e foi sepultado por seus filhos Essav e Jacob.

D’Var Torá – Michel Schlesinger, Rabino da Congregação Israelita Paulista A história do tempo mostra como D’us é UM e somente Ele cria o mundo inteiro (espiritual também) e todos os detalhes dele, de cada pessoa e cada mudança, constantemente. A história… mostra como existe uma diferença inexplicável e infinita entre os judeus e os outros povos, além da importância da Alegria. Agora podemos entender porque a Torá lista os descendentes de Essav e porque mudar o nome de Jacob para Israel era tão importante. Uma das grandes realizações do Mashiach (Messias) será que TODOS os povos servirão ao Criador; uma coisa que nunca aconteceu antes na história do mundo, mesmo na época do Rei Salomão. Então, as gerações são listadas na Parashá porque é uma seção que lida especialmente com Mashiach. Jacob fala para seu irmão Essav (que representa os povos não-judeus) que ele o encontrará depois (referindo-se à chegada do Mashiach/Messias), e nesse caso, todas as gerações que seguiram a Essav reconhecerão o verdadeiro Mashiach! E por isso também a mudança do nome Jacó para Israel.

O nome Yaakov significa os judeus enquanto estão no exílio, mas ‘Israel’ indica os judeus vitoriosos na revelação da sua verdadeira natureza Divina, e na educação do mundo espiritualmente e fisicamente.

Author: admin

Comments

comments

Um comentário em “Parashá Vayishlach – Resumo da Parashát

  • ‍‍11/12/2017 - 23 Kislev 5778 em 22:06
    Permalink

    jacob do bandolim foi sem dúvida um grande artista. Nascido de um descuido de sua mãe que por certo não pretendia ter filhos – em decorrência das circunstâncias de sua vida – o exercício da prostituição – foi bem educado. Inobstante o fato de sua mãe era prostituta – soube separar as coisas e prepará-lo para a vida. Era um grande músico – estremaente disciplinado (uma disciplina musical) e segunda pessoas que com ele conviveram – eram de de tudo um ser humano maravilhoso. Morreu jovem, com 50 anos de idade em 1969. Um infarto fulminante o levou. Deixou um filho compositor – cantor que infelizmente morreu alguns anos após – muito mais jovem.
    Voltando a Sra.. SARA RACHEL PICK (Bittencourt), inobstante as agruras da vida – os infortúnios e as desgraças e dificuldades intransponíveis pelas quais passou, foi sem dúvida uma mulher valorosa. É claro que não escolheu ser prostituta: à época na polônia e outros países – em dificuldades de sobrevivência – a zwig migdal – associação criminosa de alto coturno (infelizmente fruto de atividades de judeos criminosos) as traziam para a américa do sul – com promessas de empregos – casamentos enfim uma vida melhor. Ao embarcarem eram praticamente estupradas – por esses criminosos (sem dúvida alguma com alma de sapo) – e ao desembarcar no destino final – sem amigos / parentes, sem conhecimento / domínio da língua – sem o s passaportes (que eram confiscados) – e permanente vigilância da zwig migdal que era extremamente violenta e em muitos casos as matava – há um livro – QUEM MATOU PIERROT que demonstra a violência da migdal), ) não lhes restava outra alternativa senão serem prostitutas e aceitar quaisquer condições que seus captores (vagabundos e salafrários) lhes impunham.
    Moreira da Silva – viveu com uma delas – ESTERA que era mulher de rara beleza) – e deixou entre amigos – claro que era uma mulher extraordinária – pessoa “do bem” – mas que infelizmente – talvez devido aos enfrenamentos / adversidades da vida – que devem ter marcado profundamente sua vida / alma – cometeu suicídio em 1968.
    Montaram associação de ajuda mútua – tentaram manter sua religiosidade / tradições – e se mantiveram unidas como verdadeiras irmãs. Isso é fenomenal e demonstra claramente que foram prostituídas – mas não tinham alma de prostituta. Merecem respeito – de todas as comunidades. Infelizmente tentam esconder (ou pelo menos tentaram – durante décadas) – o que a meu ver não é vergonha nenhuma para nínguem. A vida foi desfavorável a essas “prostitutas” mas elas lutaram com denodo e diante das circunstâncias adversas que a vida lhes proporcionou – foram valentes – denodadas – corajosas e repita-se merecem respeito de todos.
    Quanto a você Sra. SARA RAQUEL PICK BITTENCOURT – tenho a certeza que estas em paz – com Deus. Deus sabe perdoar seus filhos e tem um julgamento justo, diferente dos homens- que são limitados – imperfeitos e cheios de preconceitos -idiotices e imbecilidades que não servem para nada..
    Sua memória deve ser cultuada com respeito pelo exemplo dignificante de ter obtido êxito na criação de um menino que tinha udo para ser um “zero à esquerda”. Mas, ao invés disso se transformou num dos maiores artistas que já tivemos – o rei do chorinho. E isso graças a mom que deus lhe deu. Sem sua dedicação ele não teria tido êxito, e nossos ouvidos chamais se deleitariam – na oitiva das lindas musicas do mestre JACOB (este foi grande).
    E agradecemos ao seu descuido: se a Sra. não tivesse engravidado / não tivesse dado a vida a esse fenômeno musical – não teriamos tido o grande JACOB.. As “prostitutas merecem respeito (suas memórias devem ser sempre exaltadas) e quem não merece nenhum respeito – são os caftens imundos com alma de sapo de faziam dessa vergonhosa atividade “fonte de renda” e inclusive fortunas imensas. Portanto vamos mostrar ao mundo a coragem, o exemplo, a resignação, a luta pela sobrevivência dessas mulheres – “prostitutas” não por opção – mas por circunstâncias da vida – vamos exaltar suas qualidades e vamos pichar com veemência os caftens – esses lixos que não deveriam nem ao mesmo serem chamados de seres humanos. Porcos imundos que com certeza devem estar queimando no inferno.
    E tenho dito.

    Resposta

Deixe uma resposta

Assine nossa lista de e-mails agora!

Assine nossa lista de e-mails agora!

Fique sempre informado de todas os nossos estudos, artigos, notícias e muito mais. É só preencher o formulário abaixo com seu nome e e-mail. Nós da SHAAREI SHALOM ficamos muito felizes em ter você em nossa lista de amigos.