Parashat Chukat

1) Parashát Chucat: Bamidbar/Números 19:1 – 25:09 – Aventura, ação e mistério, enquanto o Povo transpõe o deserto, no seu 38° ano. Primeiro, as leis sobre a Pará Adumá, uma vaca vermelha que, depois de abatida, era queimada com madeira de cedro, hissôpo (uma espécie de planta) e lã escarlate. As cinzas eram, então, misturadas com água e usadas para a purificação daqueles que tinham entrado em contato com mortos. Estranhamente, todos os envolvidos na preparação das cinzas e de sua mistura com água tornavam-se ritualmente impuros, mas todos os que eram aspergidos com esta água tornavam-se ritualmente puros.

Miriam, irmã de Moisés e profetisa, morre. O poço que acompanhava os Israelitas, no deserto, por seu mérito, pára de jorrar. Novamente o Povo se rebela contra Moisés e Arão por causa da falta de água. D’us manda Moisés falar com determinada pedra, pedindo-lhe água. Moisés bate na pedra, ao invés de falar com ela, e a água jorra abundantemente. Entretanto, D’us pune Moisés e Arãon por não O santificarem, proibindo sua entrada na Terra de Israel. Também, Aron morre. Seu filho Elazar é apontado novo Sumo-Sacerdote. O rei cananeu de Arad ataca os Israelitas e é sonoramente derrotado. Aí acontece uma nova rebelião por comida e água, que é respondida por D’us com uma praga de cobras venenosas. Moises ora pelo povo e é instruído por D’us a colocar uma cobra de bronze no alto de uma estaca. Todos que foram picados, ao olharem para cima para enxergá-la, pensariam em D’us, se arrependeriam e, então, curar-se-iam. As Israelitas aniquilam os Amoreus e Bashanitas, que não apenas não nos deixaram passar pacificamente por seu território, mas ainda nos atacaram.

2) Dvar Torá: baseado no livro, “Ame O Seu Próximo”, do rabino Zelig Pliskin
A Torá declara: “Moisés e Arão reuniram o Povo na frente da rocha e Moisés disse para eles: ‘Ouçam, rebeldes'” (Bamidbar/Números 20:10). Moisés foi punido por sua declaração. D’us lhe comunica: “Você não trará o Povo para a terra que Eu prometi dar a eles”. Qual foi seu erro? O Midrash (os comentários sobre a Torá) explica que qualquer pessoa que sirva como líder do Povo precisa ser muito cuidadosa em relação à forma como se dirige a ele. Temos diversas provas disto pelo Tanack (o livro que reúne a Torá, os Profetas e as Escrituras Sagradas). Yeshaiáhu (Isaías) disse a D’us: “Eu sou um homem de lábios impuros e vivo no meio de um Povo de lábios impuros (Isaías 6:5)”. Por esta declaração ele foi severamente punido. Eliahu (o profeta Elias) disse a D’us: Tenho sido muito fervoroso para o Senhor das hostes; porém os Filhos de Israel têm abandonado Sua aliança (Reis I, 18:10). Ele foi severamente punido por esta declaração (Talmude: Yalkut Shimoni 764).
Nossa Lição: Cada um de nós, especialmente nossos líderes e rabinos, precisa ser muito cuidadoso ao fazer declarações categóricas sobre o Povo Judeu ou sobre a Terra de Israel, seja sobre segmentos dele ou sobre o todo.

Author: admin

Comments

comments

Deixe uma resposta

Assine nossa lista de e-mails agora!

Assine nossa lista de e-mails agora!

Fique sempre informado de todas os nossos estudos, artigos, notícias e muito mais. É só preencher o formulário abaixo com seu nome e e-mail. Nós da SHAAREI SHALOM ficamos muito felizes em ter você em nossa lista de amigos.