Parashat Shelach – 5776

Parashá: Shelách – Bamidbár/Números 13:1-15:41: O Povo recebeu a Torá no Monte Sinai e está pronto para entrar na Terra Prometida. Há um consenso entre as Israelitas que devem mandar espiões para verificar se é possível conquistar a Terra. Moises sabe que a promessa do D’us de nos dar aquela Terra incluía, também, a garantia de sua conquista. Entretanto, um dos princípios de vida que aprendemos desta parashá é que o Todo-Poderoso dá a cada um de nós livre-arbítrio para irmos na direção que bem escolhermos. Então Moises, por decreto Divino, envia os chefes das tribos (homens do mais alto calibre espiritual) para espionar a terra.  12 espiões são mandados, 10 voltam com o relato de que existiam grandes fortificações e gigantes, e incitam o povo a não entrar na Terra. Yehoshua ben Nun (Josué) e Calev ben Yefunê (cunhado de Moises) tentam se opor à rebelião, mas não obtêm sucesso. O D’us decreta que o povo vagará 40 anos pelo deserto, um ano por cada dia que espionaram a Terra. Isto aconteceu em Tishá B’Av (9 de mês de Av), uma data reconhecida em toda a história Judaica por suas tragédias: a destruição de ambos os Templos em Jerusalém, a expulsão dos Judeus da Espanha, em 1492, e a saída do 1º trem para o campo de concentração, Aushwitz, entre elas.

D’Var Torá, por Rabino Kalman PackouzNesta parashá, o D’us dá a Terra de Israel ao povo Judeu. Ao invés de aceitá-la com gratidão e confiar na ordem Divina de adentrar imediatamente, o povo suplicou a Moises para enviar espiões. O resultado? Após ouvir o relato dos espiões, acabamos vagando 40 anos pelo deserto e jejuando todo Tishá B’Av (o aniversário no calendário Hebraico do dia do relato dos espiões)… Um presente não está relacionado apenas com quem se presenteia e também não apenas com quem deu. Trata-se de uma demonstração de relacionamento. O doador deve usar o máximo de sua sensibilidade para dar um presente que a outra pessoa aprecie (não como algumas pessoas que encontram em casa algo que querem se livrar e procuram sobre quem podem descarregar o ‘fardo’). O recebedor deve aceitar o presente com apreciação e boa vontade, mesmo que não tenha gostado do que ganhou. Quando alguém recebe um presente, além do sentimento de gratidão, surge também um sentimento de obrigação em relação àquele que o presenteou. Muitas pessoas acham que já não têm mais o mesmo grau de independência no relacionamento após receber um presente. Pelas leis Judaicas, um juiz precisa recusar um caso se tiver recebido qualquer tipo de presente de algum dos litigantes. Mesmo um presente de valor mínimo pode comprometer o bom senso do recebedor. É algo que precisamos ter em mente!
Costuma-se dizer que a Terra de Israel é o único lugar que uma pessoa pode desenvolver seu caráter apenas estudando a geografia do terreno. Ao norte fica o Kineret, o Mar da Galiléia.

O rio Jordão desemboca nele pelo topo e continua seu curso pela parte inferior. O rio apresenta muitos peixes e tem vida ao seu redor. Depois ele continua correndo para o sul e desemboca no Mar Morto. E dali não prossegue. O nome já diz tudo: não há peixes, mas minerais e químicos  no Mar Morto e há pouca vida ao seu redor (hoje existe grandes plantações de tamaras).

De forma semelhante acontece conosco: se recebemos e damos, então estamos vivos e geramos vida ao nosso redor. Mas se apenas recebemos sem dar… não há muita vida nem em nós nem ao nosso redor.

2) Pirkei Avót: No livro Pirkei Avót (Ética dos Pais) 3:14, Rabi Akiva (1º século E.C.) ensinou: “Bem aventurado é o homem que foi criado à imagem Divina. E um amor especial demonstrou D’us ao informar-lhes que foram criados à Sua imagem”.  O que ele quis dizer com “um amor especial demonstrou D’us ao informar-lhes que foram criados à Sua imagem”?  Quando alguém presenteia o outro e explica o benefício que está lhe proporcionando, demonstra um apreço muito maior pela pessoa do que aquele que dá e não se incomoda de falar sobre o motivo do presente ou o seu valor. Por exemplo: quando alguém dá uma jóia à mulher sem se importar de contar o valor da pedra e do metal, o esforço que fez para comprar algo especial para ela, etc, demonstra mais que está fazendo aquilo por obrigação do que por carinho e, por exemplo, cuidado com seu cônjuge.
Qual a maior dádiva que podemos dar a alguém? Não são apenas coisas materiais, mas o entendimento que a vida tem significado e que a vida desta pessoa também tem significado para nós! A vida é significativa e todos têm um propósito nela!

Author: admin

Comments

comments

Deixe uma resposta

Assine nossa lista de e-mails agora!

Assine nossa lista de e-mails agora!

Fique sempre informado de todas os nossos estudos, artigos, notícias e muito mais. É só preencher o formulário abaixo com seu nome e e-mail. Nós da SHAAREI SHALOM ficamos muito felizes em ter você em nossa lista de amigos.